CASA VELHA

More than a Rural Tourism. This is an Experience!

Para que a sua estadia se possa tornar numa memoria inesquecível, tem várias atividades que pode fazer com o o seu grupo. Aliando-nos a produtores locais e com o objetivo de manter as tradições da zona tem várias experiências que irão decerto tornar a sua visita a Cernache especial!

Chef em Casa

Sinta -se imerso numa experiência, concebida para cliente, onde o Senhor Cozinheiro divide consigo a cozinha, a confecção e o amor colocados em todos os pratos.

Do menu mais tradicional do tasco típico ao menu do restaurante mais conceituado, irá ser transportado à cozinha dos seus avós, onde cheiros e sabores vão deliciá-lo numa aventura gastronómica completa.
 

O Senhor Cozinheiro vai proporcionar-lhe uma refeição com a qualidade de um restaurante, no aconchego e privacidade da CASA VELHA, numa partilha completa entre família e amigos.

Fabrico de Pão Artesanal e Compotas Naturais

Vai adorar meter as mãos na massa, enquanto se sente literalmente a recuar aos tempos dos nossos avós!

Os Cereais de pequenos produtores da região são a matéria-prima para esta receita, que vai por à prova a sua capacidade e habilidade em transpor para a massa o stress e agitação do dia-a-dia.

Depois de amassado tem o merecido descanso, num processo de fermentação lenta, até estar pronto a entrar para o fogão a lenha.

Por esta altura, outras matérias-primas assumem o protagonismo: As frutas da Horta! Sem adição de corantes nem conservantes, “à boleia” do calor do fogão a lenha, são produzidas na hora deliciosas compotas naturais!

  • NOTA: Valor total para o grupo. Inclui todos os ingredientes, bem como uma mesa de provas no final.

Apanha da Azeitona

A mistura de verdes e pretos nos bagos de azeitona confirma que é hora de dar início a mais uma colheita. É delicioso começar um dia frio num ambiente tão caloroso.

O mais atrevido sobe à oliveira antes dos restantes, e corta para cima das mantas os ramos mais altos. No chão, alguns membros das gerações mais antigas observam com ar reprovador. Não era assim noutros tempos, em que as oliveiras tocavam os céus. Hoje, é a segurança o mais importante.

As primeiras oliveiras estão colhidas, e ouve-se a convocatória para a “bucha”. Depois da bucha retoma-se a colheita, até que chegamos à hora de almoço. Acabou-se a pressa, há um sentimento de missão cumprida. Conversas bem regadas, muitas histórias e memórias…as que se recordam e, acima de tudo, as que se criam.

À tarde não nos escapamos de limpar a azeitona. Por esta altura, a feijoada do almoço “sobe ao palco” e é a grande protagonista (e culpada) das gargalhadas gerais…

Após ser limpa, a azeitona é transportada para o lagar, onde por processos mecânicos o tão precioso néctar é extraído! Todo o ano se resume neste momento, e assim que provamos, sentimos que fizemos um excelente trabalho!

Vindima Tradicional

A Azáfama começa de manhã. Aos donos da da casa juntam-se os tios, os irmãos, os vizinhos, os amigos em geral. Estão reunidos as tropas, todos sabem que vai ser um dia em grande, e isso transborda dos sorrisos no rosto de cada um. 

Iniciam-se os trabalhos na vinha soba orientação do mais antigo membro da quinta. Ás 10 e pouco da manhã, ainda mal houve tempo de aquecer as tesouras e já há uma mesa posta com a “bucha”, onde acompanha sempre um branquinho fresquinho. Se não fosse o relógio a confirmar, diria que o almoço nem esperou pela sua vez, porque aqui, o tempo passa tão rápido que o trabalho parece ser apenas um intervalo das refeições, e não o contrário.

Os participantes vão-se desdobrando entre a colheita, o transporte e o esmagar das uvas. Provar e analisar no momento o sumo de uva permite-nos confirmar se a matéria-prima vai permitir mais um excelente néctar daí a alguns meses. 

Após o almoço, pouco falta para concluir a colheita. Neste dia que não tem horas para acabar, as uvas e a vinha são na verdade apenas um (bom) pretexto para quilo que realmente motiva a vinda de todos: o convívio, a partilha, as risadas, a música popular, e as visitas “regadas” à adegas vizinhas…

E tu vais ficar desse lado a ouvir histórias? Ou vens criá-las connosco?

Pesca à Margem Rio

É difícil explicar o quão familiar e interativa pode ser esta atividade, de tão banal que parece. 

Ao explorar as margens do Rio Zêzere, somos mais uma vez remetidos para algumas décadas atrás, altura em que durante muitos anos o peixe fresco do rio vendido nos mercados e no porta-a-porta serviu de sustento a algumas famílias locais. 

Quem apanha o maior peixe será a eterna (e inevitável) batalha entre irmãos, pais e filhos ou amigos! 

Venha descobrir as mais belas vistas do rio Zêzere a bordo de um barco de três tábuas tradicional. A nossa embarcação típica em madeira de pinho que antigamente era o equivalente a um “autocarro” sobre água.

Convidamos-vos a embarcar nesta viagem para uma forma única e inesquecível de explorar o Rio Zêzere.

Toda a família é bem-vinda!